Ataque de novo vírus aproveita desatualização do Windows e atinge escalas globais

InfoTec - Na tarde desta terça-feira (27), um novo ciberataque ransonware afetou empresas de diversos países. A nova variação, registrada nos moldes das investidas ocorridas em maio pelo WannaCry, é uma variação do Petya, intitulada Petwrap. Disseminada por e-mail, sua principal característica é a modificação de setores fundamentais de inicialização do disco rígido, através de uma vulnerabilidade encontrada no Windows.

Os primeiros casos foram registrados na Ucrânia, e, para resgatar os dados bloqueados com criptografia nos computadores, é exigido que o usuário acorde o pagamento exigido em bitcoins. Até o momento, no Brasil, o principal afetado foi o Hospital do Câncer de Barretos e suas unidades.

Em nota oficial divulgada no site, o coordenador do Departamento de Tecnologia da Informação (TI) da instituição, Douglas Vieira dos Reis, o resgate exigido pelos sequestradores virtuais foi de  US$ 300 em bitcoins.

"A melhor forma de proteção é manter o sistema operacional sempre atualizado. É recomendado também para garantir um nível de seguro das informações, que o usuário conserve os arquivos num aparelho desconectado da rede", orienta Alberto Viegas, professor da Faculdade Ibratec e especialista em segurança da informação.

ATUALIZAÇÃO - O ataque atinge escalas globais e hoje (28) surgiram relatos de empresas afetadas na China e Índia.